Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
O homem e o meio ambiente. Por Nilton Kasctin dos Santos (Promotor de Justiça e Professor)
15/07/2022 17:58 em Opinião

O homem primitivo cria que Deus estava misturado à Natureza e através dela se manifestava, pelo que respeitá-la significava um ato de adoração ao Criador. Já o homem moderno, impulsionado pelo conforto da acumulação de riquezas e inspirado pelas descobertas científicas, estabeleceu que Deus vive apenas lá no céu, longe da Natureza, tendo entregue o Planeta ao homem para que faça dele o que quiser, não importando a consequência que possa resultar. Por isso não é difícil compreender por que vivemos completamente alheios aos elementos naturais que nos cercam.

       Só para ilustrar, as pessoas não sabem sequer os nomes das espécies de árvores e animais silvestres. Como saberão valorizar, então, as funções vitais que animais e vegetais desempenham em favor da nossa vida? Isolado do ambiente natural, sem nada saber a respeito dele, o homem vive separado da própria vida, tornando-se cada vez mais estúpido e violento.

       Dependemos integralmente do ecossistema. Se nos faltar o ar, morreremos em pouco mais de um minuto; respirando ar poluído, iremos morrer de doenças graves. Nosso corpo é composto de 70% de água, não necessitando falar das consequências da falta desse mineral para nossa vida. Enfim, dependemos integralmente de todos os elementos presentes nos reinos animal, vegetal e mineral.

Note-se que animais, plantas e minerais também dependem uns dos outros, só podendo existir se houver essa correlação harmoniosa e equilibrada. Aliás, isso é retratado em praticamente todos os Livros da Bíblia, aparecendo com destaque no Gênesis, Salmos (e. g., Sl 104) e no ensinamento de Cristo. Mas nenhum animal, nenhuma planta ou qualquer outro elemento natural depende do homem. Chega a ser curioso e profundamente intrigante, mas, repita-se, nada que pertença à Natureza depende do homem para existir. Ao contrário, se não existisse o homem, a Natureza estaria linda, cada vez mais viva e exuberante.

É chocante e lamentável, mas onde existir um homem, hoje, haverá degradação ambiental. Para os ecologistas, a palavra homem já virou sinônimo de poluição e destruição da vida, pois todas, absolutamente todas as atividades humanas modernas ferem, degradam e destroem a vida natural do Planeta.

       Mas como explicar o fato de o homem depender visceralmente do meio ambiente e nenhum outro ser do Planeta depender do homem? Cientificamente, é inexplicável. Todavia, para quem acredita nas teorias bíblicas, isso é de fácil compreensão. Observe-se que só depois de ter criado o Universo, com todas as suas maravilhas, é que Deus criou o homem. Raciocinando de forma lógica, conclui-se que teria mesmo de ser assim, já que a criatura (homem) necessitava de um habitat. Mas relacionemos apenas duas razões para o Criador fazer com que o homem dependesse umbilicalmente da Natureza: 1ª) fazer do homem um administrador sábio e responsável; 2ª) não deixar o homem esquecer que é dependente de Deus, ao ver-se dependente de toda a obra de Suas mãos.

       A primeira razão encontra base na necessidade de que o homem fosse compelido a cuidar do meio ambiente como sua própria casa (habitat), como sua própria vida, já que é exclusivamente dos seres animais, vegetais e minerais que extrai os elementos que o permitem viver e perpetuar a espécie. Deus queria, portanto, um homem organizado, que administrasse a Terra com sabedoria, conforme as regras divinas. E não deixou outra alternativa. Ou o homem administra a Criação com responsabilidade e respeito absoluto às leis da Natureza, ou desaparece do cosmos (continua em edição posterior).

Por Nilton Kasctin dos Santos (Promotor de Justiça e Professor)

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
PUBLICIDADE